• Demissão de secretário de Esportes é questão de dias na Prefeitura de Sorocaba. Mas não será surpresa se for de horas. Situação fica insustentável após ele representar contra vereador e colega secretário junto ao corregedor. Mudança vai mexer no quadro da Câmara, afinal secretário é dono de mandato de vereador

    Enviado em: 27/03/2015 16:01h - Por: Deda



    Francisco Moko Yabiku foi eleito vereador em 2012 e surpreendeu todo mundo quando confirmou que seria o Secretário de Esportes da Prefeitura de Sorocaba. Ele atendeu a um pedido do amigo pessoal, o prefeito Pannunzio, que precisava abrir espaço para o então suplente, Paulo Mendes (que não foi eleito) pudesse assumir e se tornar o líder do prefeito, afinal outro vereador com este perfil (Martinez), presidia a Casa naquele momento. Yabiku aceitou o desafio. Nunca havia sido secretário e era numa pasta na qual ele total afinidade, afinal é jogador de tênis, ponta esquerda no futebol de campo e ligado ao universo dos jogos de várzea. Mas dois anos depois, se sente frustrado. Quando lhe fazem um simples pergunta, por exemplo, sobre o placar eletrônico do CIC, ele é de um sinceridade que assusta: não sei, pergunta para o secretário da Administração, ele que manda.
    A verdade é que pela política de austeridade do prefeito Pannunzio, nada se gasta ou se compra sem passar pelas comissões determinadas pela lei e isso torna tudo mais devagar.
    Mas se tudo isso incomodava, não era motivo para Yabiku voltar ao seu cargo na Câmara. Nem mesmo quando a justiça cassou os direitos políticos de Paulo Mendes e ele perdeu mandato. Neusa Maldonado, a segunda suplente assumiu a vaga e segue até hoje. Martinez virou o líder. Agora, com a iminente demissão de Yabiku, Neusa perderá sua vaga.
    Então, porque Yabiku está na marca do pênalti?
    Porque surpreendentemente, para todo mundo, especialmente ao prefeito Pannunzio, Yabiku fez uma representação contra o secretário de Governo João Leandro da Costa Filho e contra o vereador Muri de Brigadeiro Tobias (PRP) junto ao corregedor do município. Não consegui saber o motivo, mas a essa altura pouco importa. João Leandro está há vinte anos com Pannunzio, é pessoa chave no governo todo e se Yabiku sabe de algo sobre ele poderia até fazer o que fez, mas manda a ética que antes tivesse avisado ao próprio João Leandro e ao prefeito Pannunzio. Não fez nada.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • O zumzumzum de que o vereador do PP será o secretário de Habitação fica mais forte. Expectativa é de que o anúncio saia na semana que vem

    Enviado em: 27/03/2015 15:59h - Por: Deda



    O empresário Elias Rachid Neto obteve 1536 votos pelo PP na eleição de 2012 e se tornou o 1º da legenda. Agora com a iminente indicação do vereador Anselmo Neto para a pasta da Habitação da Prefeitura de Sorocaba ele terá sua primeira chance no legislativo sorocabano. Elias Rachid Neto tem 62 anos (25/01/1953), é natural Parajui/SP e tem ensino Superior Completo. Ele preside o diretório do PP em Sorocaba. Porém, Cícero João, da área de entretimento da capital, também teria a presidência do diretório municipal. Isso está incomodando muito ao vereador Anselmo Neto. Dai a ideia de fazer dele o secretário da Habitação. Primeiro para dar experiência numa área que ele não tem, segundo para abrir a porta do PSDB para ele na eleição do ano que vem.
    A foto mostra Rachid, Pannunzio e Anselmo Neto no gabinete do prefeito em 2014 quando da visita de Paulo Maluf (presidente estadual do PP) a Prefeitura de Sorocaba

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Projeto apresentado por deputado na Câmara federal quer limitar gasto das campanhas de prefeito de 2016 a 5 reais por eleitor e gasto de vereador a 1 real por eleitor . Em 2012, na eleição para prefeito de Sorocaba, Pannunzio foi eleito gastando R$ 7,70 por eleitor

    Enviado em: 27/03/2015 15:58h - Por: Deda



    Rubens Júnior, deputado pelo PCdoB do Maranhão, apresentou um projeto para limitar os gastos de candidatos a prefeito e a vereador na campanha de 2016. O objetivo é diminuir o quanto se gasta com as campanhas, valor hoje definido por cada partido. Pela proposta, em cidades com até 200 000 eleitores, cada candidato a prefeito poderá gastar até cinco reais por eleitor e cada vereador até um real por eleitor. Em municípios maiores, candidatos a prefeito poderão gastar três reais por eleitor e os que concorrem às Câmaras poderão gastar cinquenta centavos por eleitor.
    Se aprovada a lei, o efeito será drástico. Na campanha de 2012, quando Pannunzio foi escolhido pelos sorocabanos, segundo dados disponibilizados ao cidadão no Portal de Transparência da Prefeitura de Sorocaba, os dados de Despesas de sua campanha para prefeito de 2012 (N.º Controle: 0004571455SP3311021) indicam que ele gastou uma média de R$ 7,70 por eleitor.
    Pannunzio declarou que recebeu dingheiro de 175 fornecedores e gastou o valor em 585 despesas, totalizando o valor de R$ 3.293.666,71. Como na eleição de 2012 Sorocaba tinha 427.555 eleitores, dividindo o quanto foi gasto com o número de eleitores se chega a esse valor de R$ 7,70 por eleitor. Tivesse em vigência a lei proposta pelo deputado maranhense, no máximo Pannunzio poderia ter gastado R$ 2.137.775,00 na cmapanha de 2012.
    O problema, apontado pelo jornalista Leandro Nogueira em reportagem publicada pelo jornal Cruzeiro do Sul em 23 de julho de 2012 é que os gastos com a campanha de prefeito de Sorocaba só estão aumetando. Segundo reportagem dele, os gastos de 2012 representaram 55,6% a mais do declarado pelos três candidatos que disputaram as eleições municipais de 2008 ou 33,3% a mais do que foi declarado pelos cinco candidatos que disputaram as eleições de 2004. 
    Quer saber como são gastos tanto dinheiro, os valores de algumas Despesas da campanha de Pannunzio explicam:
    Gastos com marqueteiro (Produção de programas de rádio, televisão ou vídeo): R$ 1.507.800,00;
    Alimentação: R$ 49.989,91;
    Cessão ou locação de veículos: R$ 94.565,00;
    Combustíveis e lubrificantes: R$ 57.908,75;
    Criação e inclusão de páginas na internet: R$ 34.019,50;
    Despesas com pessoal: R$ 501.269,00;
    Despesas com transporte ou deslocamento: R$ 765,30;
    Diversas a especificar: R$ 7.203,02;
    Publicidade por carros de som: R$ 80.000,00;
    Publicidade por jornais e revistas: R$ 10.448,00;
    Publicidade por materiais impressos: R$ 397.636,00;
    Publicidade por placas, estandartes e faixas: R$ 192.590,00;
    Serviços prestados por terceiros: R$ 155.027,00;
    Telefone: R$ 7.335,00;
    Encargos financeiros, taxas bancárias e/ou op. cartão de crédito: R$ 779,91;
    Encargos sociais: R$ 99.913,80;
    Impostos, contribuições e taxas: R$ 49.200,00;
    Multas eleitorais: R$ 8.000,00;

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Vice-prefeita reage a minha postagem e insiste para que eu a deixe em paz afinal 'estar vice prefeita e secretária municipal é uma pequena parcela do que eu sou'. Reafirmo: é uma luta vã essa de se dispor a ser uma pessoa pública, usar ferrementas públicas e ainda assim desejar uma vida privada. Para provar que a vice apenas cria fatos políticos quando se manifesta, uso apenas um comentário das suas seguidoras. Leia:

    Enviado em: 26/03/2015 18:44h - Por: Deda



    Assim a vice-prefeita Edith Maria Di Giorgi se dirige a mim numa nova postagem pública em seu facebook: "Caro Deda Benette eu uso a rede social para me manifestar quase todos os dias, como muita gente. Não acho que o fato de ocupar um cargo político neste momento deva me tirar a possibilidade de poder usar o face pra compartilhar pensamentos, poesias, pinturas, fotos, brincadeiras, testes etc. Estar vice prefeita e secretária municipal é uma pequena parcela do que eu sou. Não abro mão da minha liberdade de ser quem eu quiser ser. Acho que há coisas muito mais importantes pra você se preocupar do que o quê eu posto ou deixo de postar".
    É uma luta vã essa a de Edith de se dispor a ser uma pessoa pública, usar uma ferramenta pública e ainda desejar uma vida privada. Edith, das várias respostas das pessoas que se manifestaram em sua mensagem pública no Facebook, escolho a última postagem, de autoria de Maria Joana Oliveira para explicar o tamanho da confusão que você provoca quando se manifesta. Afirma a Maria Joana: "Sorocaba precisa urgente de uma Prefeita assim como vc. Muda só essa palavrinha VICE. Continue assim."
    Querendo ou não Edith, você cria ainda mais problemas para o prefeito a cada manifestação sua. Esse é um dos meus papéis enquanto um provocador da vida política da cidade: expor o que há de contraditório na equipe de comando da cidade. Meu compromisso é expor esse bastidor e é isso o que eu faço. Você sabe isso tão bem, pois já me externou, o inconsciente fala pela gente, portanto quando você se pronuncia seu incosciente pode estar te traindo. Você têm cargos importantes (vice e secretária) e qualquer fala sua tem peso. Os comentários em seu post apenas comprovam essa minha visão. Esse post da Maria Joana é exemplar sobre o que sua reflexão (palavras suas) e desabafo (nas minhas) estão provocando. 
    Agora, obviamente, se você falar de maneira direta haverá maior controle sobre a mensagem que você deseja transmitir. Da maneira como se expressa, você só alimenta o imaginário dos seus seguidores que, claramente, estão cada vez mais críticos com o prefeito, de quem, ao menos em tese, você deveria ser parceira e, no mínimo, não lhe criar problemas que ele não tinha. Minha pergunta segue a mesma: o que ou quem passou a te incomodar? O que você queria fazer que não está podendo?

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
    Enviado por: Henrique Pires Filho 27/03/2015 (11:01h)
    Olá Deda, tudo bem? fica pensando, será que querem moralizar o Brasil? Ou será que essa turma só que moralizar o lado dos Petralhas...? http://tijolaco.com.br/blog/?p=25821
  • Prefeito Pannunzio viaja a São Paulo para pessoalmente conversar com conselheiro do TCE sobre o processo licitatório para a contratação do BRT em Sorocaba. Os dois (prefeito e conselheiro) foram deputados na mesma legislatura. Na época conselheiro pertencia ao partido do qual faz parte hoje o vereador que contesta o edital do BRT

    Enviado em: 26/03/2015 18:43h - Por: Deda



    O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE/SP) suspendeu a licitação internacional (Nº 020/2015) para a implantação e operação do sistema de ônibus rápido, o Bus Rapid Transit (BRT), em Sorocaba que seria realizada terça-feira com a entrega dos envelopes de habilitação e preço, tem custo estimado em R$ 2,3 bilhões. As três representações, formuladas pelo vereador Marinho Marte (PPS), pela empresa Jundiá e pelo advogado Luís Daniel Pelegrine, foram acatadas pelo conselheiro Dimas Ramalho que entendeu que o certame está restritivo e poderia cercear a participação de empresas diante das inúmeras exigências apresentadas no edital. O TCE também acatou trecho de uma das representações que apontou que as irregularidades e falhas no edital podem macular os princípios de igualdade (isonomia) e legalidade, devido aos inúmeros requisitos de qualificação técnica obrigatórios na concorrência pública. 
    O TCE tinha deu prazo de cinco dias para que a Prefeitura de Sorocaba apresente suas alegações e esclarecimentos dos apontamentos feitos nas representações, mas o prefeito Pannunzio entendeu que deveria pessoalmente explicar ao conselheiro Dimas Ramalho os pontos vistos como conflituosos. Ainda não existe uma decisão sobre a sequência dessa licitação. Temporariamente essa licitação está suspensa.
    Em tempo, Dimas Ramalho antes de tomar posse como conselheiro do TCE foi deputado federal na mesma legislatura em que o prefeito Pannunzio também foi deputado. Eles têm amizade. E quando foi deputado Dimas Ramalho era do PPS mesmo partido do vereador Marinho Marte que é um dos que questionam o edital do BRT.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • E o clima nos bastidores da polícia sorocabana ainda está pesado

    Enviado em: 26/03/2015 18:42h - Por: Deda



    A TV Tem Sorocaba apresentou ao longo dessa semana, no Tem Notícias 1º edição, uma série de reportagens sobre o tráfico de drogas em Sorocaba. Algumas imagens exibidas hoje são chocantes pois mostram crianças e adolescentes vendendo drogas na rua no bairro Nova Esperança. Pessoas de carros param, abaixam o vidro, pegam a droga, pagam e vão embora. O retrato de uma sociedade em crise: crianças e adolescentes vendendo drogas de um lado e pessoas de família comprando drogas. Um tapa na cara.
    Para comentar a reportagem, no estúdio, a importante presença do novo delegado geral da Polícia Civil de São Paulo, Youssef Abou Chahin. Seguramente a primeira entrevista dele para um órgão de imprensa da região. Ele falou que não sabe o que levou ao fim da Dise (Delegacia de Investigações de Enrtorpecentes) antes da sua gestão, mas que haverá a contratação de pessoal e no segundo semestre a Dise voltará a ativa na cidade.
    Bom, enquanto a reportagem estava no ar, mandei uma mensagem de wattsapp para um delegado: Está vendo o Youssef na TV Tem? E a resposta dele me surpreendeu: Não, tou prendendo gente.
    A verdade é que a mudança de comando na polícia e a presença de um novo delegado seccional ainda não acalmou o clima nos bastidores da polícia. Há um grupo de um lado com uma visão de trabalho e um grupo do outro com uma visão oposta. Ainda não se viu um caminho para apaziguar os ânimos.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Vice-prefeita volta a usar rede social para se manifestar e como da outra vez a imprecisão de sua mensagem deixa no ar que ao invés de uma reflexão, que é o que ela diz que é seu texto, ela seja um desabafo. E ai a pergunta é contra quem? Insisti, mas ela não disse. Qual sua opinião sobre essas manifestações da vice-prefeita?

    Enviado em: 25/03/2015 17:33h - Por: Deda



    Edith Di Giorgi publicou poema O Muro de autoria de sua mãe em sua página de Facebook e eu  interpretei que ele poderia ser um recado. Restava saber a quem. Em conversa comigo ela admitiu que poderia ser um recado, sim, mas incocientemente. Sua declaração teve desdobramentos. O prefeito Pannunzio falou a respeito na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz), a própria Edith esteve no programa e também esclareceu. Mas a verdade é que o presidente da Câmara, Gervino Cláudio Gonçalves, ao se referir ao seu vice, vereador Carlos Leite, usou a expressão "não sabia que tinha uma Edith aqui comigo" numa referência a postagem que fiz do poema da vice-prefeita. Diante disso, já estava claro, mas agora ficou mais ainda, a vice-prefeita sabe que quando ela se manifesta, cria um fato. Veja o que a vice-prefeita postou na manhã de terça-feira e, em seguida, o diálogo que ela estabeleceu comigo a respeito dessa postagem:

    EDITH: Hoje fico avaliando até pra postar uma poesia,pois pode ser objeto de interpretações estapafúrdias e/ou mal intencionadas.Fico a pensar se vale a pena o caminho que escolhi,e entendo porque tanta gente boa e capaz ,que poderia contribuir muito,não entra no mundo político.Gosto muito do que faço,de pensar e executar políticas públicas que possam contribuir para a melhoria da vida das pessoas e para o bem estar social,mas infelizmente não sei se vale a pena o preço que se paga por isto.Sempre me surpreendo com a mesquinhez de alguns e não consigo aceitar esta forma de disputa de poder.Posso até ser ingênua,mas sempre espero o melhor das outras pessoas,dado que me esforço pra dar o meu melhor,e fico muito decepcionada com atitudes que demonstram uma mediocridade e uma enorme falta de generosidade.Realmente não sei se vale a pena!

    EU - Olá. Olha eu de novo. E esse post? Que mesquinhez é essa? Quem é o mesquinho? De qual disputa de poder vc fala? Como já falamos, vc tá num cargo importante e tudo o que você diz importa. Obrigado pela compreensão. Abraço

    EDITH - Quem quiser que vista a carapuça. É sobre uma maneira de se fazer política

    EU - Kkkkkkkkkkkk. Mas é secretário, é no partido?

    EDITH - Nada a declarar

    EU - Mas o que aconteceu que te levou a essa manifestação?

    EDITH - É apenas uma reflexão sobre o que tenho visto desde que assumi um cargo de maior visibilidade. Acho que é uma maneira de se fazer política que afasta as pessoas deste mundo e que faz com que a avaLiação dos políticos, de maneira geral, seja negativa. Acho lamentável,e apesar de estar falando de mim,acho que um "modux operandi" habitual, que acontece corriqueiramente no mundo político.

    EU - Entendi. Mas vc também tem a compreensão que um pronunciamento seu não é só uma reflexão. Reflexões se fazem quando se está de quarentena e vc tá na ativa como vice e secretária. Obviamente que existe algo nesse desabafo que é o que me parece ser o que você escreveu. O que me diz?

    EDITH - Nada, em especial, realmente um momento de reflexão,e acho importante colocar em discussão uma forma de disputa de poder habitual que me parece mesquinha.Falo em primeira pessoa pois acho que é uma forma de fazer as pessoas lerem e pensarem sobre isto,mas é muito mais que pessoal

    EU - Valeu. Obrigado. Abraço. Sua sinceridade vai ajudar no seu propósito.

    PS - Na foto, de sábado passado, estão Edith com o microfone na mão no palanque improvisado para as lideranças do partido na 3º Feijoada Tucana de Sorocaba, além de Maria Lúcia (deputada estadual e presidente do diretório municipla do PSDB); Luiz Salmeron (presidente da Juventude Tucana); prefeito Pannunzio e o deputado Vitor Lippi

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
    Enviado por: Marilene 25/03/2015 (22:44h)
    Eu entendo que as pessoas públicas ficam em evidência em todas as coisas. Porém, as pessoas são livres para se posicionarem, especialmente em redes sociais. A vice-Prefeita tem todo o direito de se posicionar nessas redes e se tudo for analisado como "indiretas", realmente fica complicado, pois tudo pode ser muito mal interpretado. Penso que Sorocaba ganha muito mais discutindo idéias concretas e não suposições. Sei que a dra. Edith tem muito a contribuir no campo das idéias e propostas para a nossa Sorocaba.
    Enviado por: Elisângela 25/03/2015 (21:13h)
    Acredito que hoje em dia, ser transparente ou pelo menos tentar ser, é motivo para especulação "politiqueira". Ao meu ver, a Dra Edith expressou nesse texto exatamente o que vem acontecendo ultimamente, tudo o que ela escreve vira assunto, vira polêmica, sempre tem que ter um " alvo". Já vi algumas vezes, a vice prefeita interagir com alguns mal informados no grupo política Sorocabana, e ela sempre age de forma transparente e de maneira ética, tratando com toda educação até mesmo aqueles quem lhe faltou com respeito. Quem é que não tem um momento de reflexão? Agora, poe se tratar da Vice prefeita, ela está limitada a postar no próprio facebook apenas aquilo que os fofoqueiros e oportunistas de plantão querem ler? Apontar defeitos e problemas qualquer um faz, sugerir a solução é que é difícil. Dra Edith, parabéns pela coragem, e não ligue pra isso, as críticas muitas vezes são inveja, inveja é o atestado da incompetência e sinal que a Sra está incomodando, e certeza absoluta, ninguém inveja o fraco.
    Enviado por: Larissa Gallep 25/03/2015 (21:06h)
    É Proibido Proibir Deda! Todo mundo tem direito de expressar sentimentos, pensamentos, protestos, felicidades e filosofias no Facebook! Até mesmo a Vice-Prefeita! Uau!!! Vivemos hoje, infelizmente, em tempos em que ter uma opinião diferente da maioria virou motivo de briga, de sensacionalismo barato! Que pena! É pecado discordar de alguma situação, de refletir sobre a vida, sobre o momento político que todos nós estamos passando no País? Agora até postar poesia da mãe no Face é tema de especulação?
    Enviado por: Elaine 25/03/2015 (20:43h)
    Considero a manifestação da Dra. Edith uma forma de ser autêntica e verdadeira neste mundo político onde os homens se igualam a canibais... O que cansa é exatamente a falta de liberdade em ser o que se é, falar o que se pensa sem ter uma mosca rondando e interpretando tudo de forma a ganhar algo com isso ou fazendo de palavras e atos um jogo político!!!
  • De novo, sorocabanos fazem justiça pelas próprias mãos. Entendo que a falta de punidade deixa uma percepção ruim de insegurança, mas resolver os problemas na base do olho por olho não pode ser a solução. Dá raiva? Dá raiva, mas bandido deve ser caso a ser resolvido pela polícia e pela justiça

    Enviado em: 25/03/2015 17:30h - Por: Deda



    A postagem abaixo, pública no Facebook, teve até o meio da tarde hoje 17 curtidas (o que é pouco) e 70 compartilhamentos (o que é significativo) para essa rede social. Minha compreensão é de que a maioria das pessoas (ao menos as 70 que compartilharam viram a postagem) concorda com minha tese de que não se deve fazer justiça pelas próprias mãos. Entendo que a falta de punidade deixa uma percepção ruim de insegurança, mas resolver os problemas na base do olho por olho não pode ser a solução. Dá raiva? Dá raiva, mas bandido deve ser caso de polícia e justiça.

    A postagem acompanhada da foto é essa: "Esse cara tentou roubar um carro na Rua Aparecida (Vila Santana) e se deu mal pois estava desarmado,os moradores que moram perto, viram a ação do bandido e renderam ele, e ainda por cima deram uma surra nele até a Polícia chegar,o interessante que ele se gabava a todo momento por ser bandido e ainda ameaçava os moradores mesmo depois de ter sido apanhado e amarrado...vai entender..."

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
  • Deputado solta a língua fora do ar assim que acabou a coluna O Deda Questão na rádio Ipanema. Jefferson Campos revela pequenos detalhes dos bastidores que definem o rumo de uma sociedade como ocorreu na eleição de 2012 em Sorocaba; explica a força de Eduardo Cunha para um movimento de impeachment de Dilma na Câmara federal; revela o peso da opinião pública sobre o comportamenmto de um parlamentar e, por fim, conta como Jair Bolsonaro ganha espaço no Brasil

    Enviado em: 23/03/2015 17:42h - Por: Deda



    Jefferson Campos está no seu sexto mandato parlamentar. Foram dois como vereador em Sorocaba e está no quarto como deputado federal. Durante a entrevista na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) ele explicou como chegou a Sorocaba, vindo de Ourinhos; falou de como assumiu a vida de pastor e o processo de escolha dentro da Igreja Quadrangular para ser o candidato a deputado (que lhe rendeu votos em mais de 600 municípios). Falou de política, processos (Operações Sanguessugas e Máfia do Asfalto), sucessão e da Frente Parlamentar Evangélica que faz severas críticas ao beijo gay da novela das 21h da Rede Globo, onde as personagens de Nathália Timberg e Fernanda Montenegro se beijam noa boca logo no primeiro capítulo da novela. Justiça seja feita, ele deixa claro ser contra censurar o novelista ou a emissora, mas de usar a estretégia de um boicote da sociedade a este tipo de produto. Tudo bacana, uma hora e vinte de conversa. O link está aqui para você ouvir. Vale a pena.
    Mas o que ele disse fora do ar merece uma reflexão. Há uma famosa cozinha na rádio Ipanema onde são servidos café, pão, manteiga, requeijão, presunto, mussarela, pão integral, pão francês tudo da Padaria Real e do Café Excelsior. É um ambiente de alegria e descontração onde as pessoas se sentem mais à vontade e falam muito sobre o que não vai ao ar. E o deputado Jefferson Campos não fugiu à regra. Leia algumas das suas manifestações:

    Renato Amary
    O deputado Jefferson explicou que seu grupo foi conversar com Renato Amary, então com 60% das intenções de voto na eleição de 2012, e a recepção frustou. Ele e seu grupo não tiveram a receptividade que esperavam e o deputado estadual Carlos Cézar chegou a perder a paciência e deixar a conversa com Amary. "O Renato estava muito certo de que seria eleito e entendeu que poderia dispensar nosso grupo", falou o deputado. E completou: "O resultado veio nas urnas. Ele perdeu por 3 mil votos. Só nosso vereador (Hélio Godoy), o mais votado, teve mais de 7 mil votos".

    Vitor Lippi
    Na sequência do seu raciocínio, o deputado disse: "Com a recusa de avançar nas conversas com o Renato Amary a pergunta que ficou no ar foi: e agora? E decidimos conversar com o então prefeito Vitor Lippi e ele com a simpatia de sempre nos recebeu, conversou e nos levou até o Pannunzio que acabou ganhando. Mas o Lippi, como sempre, foi de uma educação exemplar".

    Pannunzio
    As revelações do deputado não pararam por ai: "Naquela eleição, fechado com o Pannunzio, levei ele para falar em todas as igrejas, nos empenhamos". E quando o deputado ia mudar de assunto, eu insisti: E de que forma o Pannunzio, depois de eleito, retribuiu a esse seu empenho na campanha? E o deputado surpreendeu a todos com sua resposta: "esse pãozinho vem de qual padaria mesmo, é da Real?" Ele disse que nem para conversar o Pannunzio, após eleito, o chamou. "Deixou nosso grupo fora do governo. A presença do Hélio Godoy foi mais para atender a uma necessidade dele do que ao PSD."

    Eleições de 2016
    Jefferson Campos explicou que seu partido, o PSD, e ele em particular, já foi chamado para conversar sobre o pleito do ano que vem por Renato Amary, Vitor Lippi e Pannunzio. Nada avançou. O deputado disse: "O Lippi, tenho a nítida impressão, não sai do PSDB para concorrer e vai respeitar o Pannunzio. Por sua vez o Pannunzio vai mesmo para a reeleição só que não sei que tipo de conversa poderemos ter para caminharmos juntos novamente. O Renato, sem dúvida alguma, é candidato. Não é o momento de falar nada, mas de ouvir. Estamos fechados em sete partidos, vamos ter mais de 4 minutos de TV e não descartamos lançar nosso próprio candidato".

    Eduardo Cunha e o impeachment de Dilma
    Sobre o que acontece no mundo palaciano, o deputado afirmou: "O PT da Dilma é absolutamente despreparado para lidar com o Congresso e achou que poderia ganhar do Eduardo Cunha. Não dava. A Dilma deu o Ministério das Cidades para o Kassab, mas quem manda no cofre é uma mulher lá, amiga da Dilma, que não é política e não deixa avançar obra em lugar nenhum. Como fazer política sem levar obra para o reduto do parlamentar? A verdade é que o Eduardo Cunha pode, se quiser, criar muito problema para a Dilma. O impeachment está na mão dele. Se ele resolver colocar na pauta, ninguém sabe o que vai dar. O política vive das ruas e o barulho está grande".

    Político sofre pressão das ruas
    Jefferson explicou que não tem como ignorar que o político sofre a pressão da rua: "Este assunto mesmo que você abordou na entrevista (ato de repudiu ao beijo gay na novela das nove) eu postei na sexta-feira á noite e até ontem havia 90 mil manifestações. Foi uma única postagem e 90 mil pessoas foram dar sua opinião. O político que falar que não se abala com o que diz a rua está mentindo. A Dilma a cada vaia que recebe, em cada canto que tem ido, sente. E essa agressão vai se acumulando".

    A vez do Bolsonaro
    Jair Bolsonaro ganhou todas as manchetes negativas que se pode ter do parlamento brasileiro com seu discurso reacionário, mas o deputado Jefferson explica quem é ele: "é uma moça de delicado, jogamos bola uma vez por semana, deputados, a turma lá do congresso. Ele é zagueiro e nunca nem falta fez. A verdade é que ele criou um personagem que deu certo. Elegeu um filho deputado federal, outro deputado estadual e outro vereador. Se continuar essa bagunça que esté hoje ele será candidato a presidente em 2018 e terá muitos votos pois ele representa uma parcela cada vez mais significativa de brasileiros. Tem muita gente querendo um regime mais duro e ele assumiu esse discurso e vai dar trabalho".

    Abaixo os links para ouvir o deputado Jefferson Campos na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) :
    1°) http://www13.zippyshare.com/v/3YVGdamW/file.html 
    2°) http://www13.zippyshare.com/v/gWoX1J9y/file.html
    3°) http://www13.zippyshare.com/v/0wQC4Lp5/file.html

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
    Enviado por: Rogério 27/03/2015 (15:51h)
    Acho perigosa a junção religião e política... Respeito por conta da democracia, mas nunca a tal "bancada evangélica" terá o meu voto. Há muita hipocrisia nos discursos desses representantes..
    Enviado por: Henrique Pires Filho 24/03/2015 (18:04h)
    Deda, o Crespo é hipócrita, mesmo!!!! o dos outro é bandido, o meu é gente boa! O tom agressivo e acusatório tomou conta das pessoas... Como dizia o Nassif, a grande impressa se tornou os neocons americanos... http://tijolaco.com.br/blog/?p=25771 abs obs: Deda, a única forma de mandar comentários pra vc é só atráves dos posts? ou tem outro jeito?
    Enviado por: Henrique Pires Filho 24/03/2015 (17:57h)
    Não sei se vc viu Deda, mas ontem o cara do movimento vem pra rua foi no roda viva e ninguém perguntou pra ele, sobre isso! http://tijolaco.com.br/blog/?p=25765 abs
    Enviado por: Henrique Pires Filho 24/03/2015 (17:54h)
    Oi Deda,então quer dizer que a reuters dá uma força pro FHC? http://tijolaco.com.br/blog/?p=25768 Da uma lida!! abs H
  • Deputado Lippi reluta, reluta, reluta, mas deixa no ar que poderá ser candidato a prefeito de Sorocaba em 2016. Não é uma questão de vontade minha, mas vontade do grupo explicou ele hoje na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema. Como Pannunzio, o atual prefeito, tem a prerrogativa da reeleição e já disse que o deputado deveria cumprir seu mandato inteiro, a expectativa era que Lippi negasse, simplesmente com um não quando fiz a pergunta se era sua pretensão concorrer novamente a prefeito já no ano que vem. Qual minha aposta neste cenário? Lippi não deixa o PSDB e Pannunzio será o candidato do partido no ano que vem

    Enviado em: 20/03/2015 18:28h - Por: Deda



    Não tenho controle sobre o destino, ninguém tem, quero dar o melhor de mim como deputado, mas se for vontade do grupo o que poderei fazer senão aceitar a missão de novamente concorrer a prefeito de Sorocaba. Essa mensagem ficou bastante clara hoje no final da entrevista do deputado federal Vitor Lippi na coluna O Deda Questão na rádio Ipanema (91,1Mhz). Ele esteve na rádio para contestar minha opinião de que ele foi oportunista ao ir na manifestação de rua no domingo passado e, em especial, a polêmica sobre postagem minha. Ele falou tanto sobre Sorocaba, deixando sua vida como deputado em segundo plano, que questioná-lo sobre sua vontade, seu desejo, de ser candidato a prefeito no ano que vem foi uma pergunta natural. Como Pannunzio, o atual prefeito, tem a prerrogativa da reeleição e já disse que o deputado deveria cumprir seu mandato inteiro, a expectativa era que Lippi negasse, simplesmente com um não quando fiz a pergunta se era sua pretensão concorrer novamente a prefeito já no ano que vem. Fui insistente com Lippi: deputado, é só falar um sim ou um não sobre essa sua pretensão. Ele relutou, relutou, relutou, mas acabou deixando no ar que poderá ser candidato a prefeito de Sorocaba em 2016. Aposto, ao contrário do que tenho ouvido por ai, que Lippi não sai do PSDB. Ele quer ser candidato pelo seu partido e vê que a saída de Renato Amary em 2008 da legenda apenas o prejudicou politicamente. Lippi, para muitos, é teimoso. Eu julgo Lippi hoje da mesma maneira que o julgava em 2004, quando fui coordenador executivo da sua primeira campanha a prefeito de Sorocaba: focado, disciplinado e frio o suficiente para suportar o que for necessário e fazer acontecer o que deseja. Neste sentido, Lippi e Amary são muitos parecidos. Os dois sabem o que querem. Os dois sonham. Os dois perseguem o caminho que for preciso para que a vontade deles se concretize. Se alguém me perguntar, então você acha que Lippi será o candidato tucano a prefeito de Sorocaba no ano que vem? Minha resposta é: não. E não por duas razões: 1) Lippi não deixa o partido e 2) Pannunzio já decidiu quer deseja a reeleição. Tomara que isso aconteça para dar a chance do sorocabano decidir que tipo de governo deseja: um mais prudente ou um mais ousado.

    Ver comentário

    Envie um comentário

    Gostariamos muito de ouví-lo.Sinta-se a vontade para escrever sua opinião sobre esse assunto.

    Comentários
    Quem é o Deda

    Quem é o Deda

    O compromisso deste blog é com uma visão crítica dos fatos, análise das informações e a mesma qualidade de jornalismo sério e independente que marca a minha vida profissional. Ler +

    Fotos da semana

    Busca no blog

  • Pesquisar